busca assertiva de currículo busca assertiva de currículo

5 dicas para fazer uma busca assertiva de currículos!

9 minutos para ler

Currículo ou Curriculum Vitae: esse documento, sem dúvida, tem um grande peso no ambiente corporativo. Aliás, como se faz uma busca assertiva de currículo nos tempos atuais?

Todo recrutador deve ter em mente que há alguns fatores que ele pode controlar no seu perfil de candidato ideal e outros que é preciso deixar em branco. Trata-se de se preparar para receber o “elemento surpresa” que cada pessoa traz à organização.

Isso significa que, assim como reformulamos diariamente a nossa maneira de trabalhar no mundo contemporâneo, precisamos reavaliar o que, de fato, é o bom currículo e como escolher um nos dias de hoje. Com todas as mudanças no mercado de trabalho e nas ferramentas à sua disposição, estar um passo à frente da concorrência na triagem de currículos faz toda a diferença.

Quer aprender a fazer uma busca assertiva de currículo? Confira as nossas dicas!

1. Faça um bom estudo de cargos e funções

Para saber o perfil de candidato que se deve procurar, é preciso estudar bem o cargo e as funções que serão desempenhadas. Caso contrário, você não saberá quem se encaixa melhor na função.

Com isso, o desenho de cargos é uma ferramenta essencial no momento em que se tem uma vaga em mãos. Ele se torna uma referência na hora de fazer a triagem de currículos, assim como, posteriormente, quando se está avaliando os candidatos à vaga.

Esse tipo de desenho inclui os aspectos ligados ao cargo e à função, como escolaridade, nível de experiência, ferramentas que é preciso dominar para desempenhar o trabalho, entre outros atributos que a empresa considera importantes para preencher a vaga.

A partir de um estudo interno e externo, somado ao desenho final desses cargos e funções, podemos dizer que já há um preparo bem maior para fazer uma busca assertiva de currículo.

Powered by Rock Convert

2. Busque uma estratégia de atração dos candidatos

Com toda essa facilitação que a tecnologia trouxe ao dia a dia, principalmente na comunicação e nos diferentes modos de apresentar um conteúdo, é preciso estabelecer alguns critérios para escolher um bom currículo. Porém, não se pode abrir mão da flexibilidade na hora de fazer suas escolhas.

Assumir essa capacidade desde a triagem de candidatos tem a ver com o momento atual no mercado, que passa a necessitar, cada vez mais, de pessoas criativas. Para isso, é preciso ter uma estratégia de atração mais dinâmica.

Além de se preocupar com o que a sua empresa quer encontrar no candidato, é preciso pensar em uma estratégia que torne a vaga interessante para o perfil desejado. Afinal, os profissionais também querem alguma garantia de que a experiência de trabalho será recompensadora para eles.

Logicamente, o recrutador não vai criar uma vaga que não corresponda com a realidade, mas destacar os pontos que podem ser valorizados por candidatos com as características desejadas. E mais: a escolha do local de divulgação também faz toda a diferença. Veja por que na próxima dica!

3. Escolha um local oportuno para divulgar a vaga

Um fato que todo recrutador precisa lidar é a impossibilidade de atingir todos os profissionais qualificados que uma área possa oferecer. Toda vaga está fadada a deixar de ser vista por muitos candidatos compatíveis.

Pensando nisso, é preciso aumentar as possibilidades de atingir, especialmente, aquelas pessoas que estejam qualificadas e de acordo com o perfil do cargo. O foco deve ser no seu grupo de interesse, não em um conjunto excessivamente abrangente de pessoas.

Há formas diferentes de buscar isso. Primeiro, escolher canais de divulgação nos quais a sua pessoa ideal (com as qualificações e experiências requisitadas) tenha mais chance de estar. Dessa forma, você aumenta suas chances de encontrar o perfil correspondente.

Portanto, se a sua vaga é para pessoas da área de Marketing, por exemplo, talvez seja mais válido buscar meios nos quais esse público está presente em vez de divulgar a vaga em locais muito genéricos e com perfis operacionais.

Hoje, existem inúmeras plataformas de divulgação que sabem bem como atingir o público ideal para cada vaga. Usando esses recursos, não há lugar melhor ou pior, pois o foco é a compatibilidade com o perfil do cargo e o nível das funções exercidas.

4. Faça uma boa triagem

Mesmo deixando claros os requisitos da vaga e escolhendo locais adequados, é preciso fazer uma triagem dos currículos e escolher aqueles que realmente sejam interessantes.

Nesse momento, é importante determinar filtros adequados para eliminar aqueles candidatos que não atendam aos pré-requisitos ou que demonstrem algum tipo de incompatibilidade que inviabilize a sua candidatura para a respectiva vaga.

Aqui, podem-se listar critérios de formação, idiomas com fluência, ortografia, tempo mínimo de experiência, entre outras características que realmente fazem toda a diferença para qualquer empresa.

Na hora de entrar em contato com o candidato, otimize a comunicação e aproveite para já começar a fazer anotações a respeito desse primeiro contato direto. Aproveite, também, para esclarecer informações básicas sobre a vaga para dar a chance de o profissional avaliar a oferta antes mesmo da entrevista.

Há casos em que a empresa não revela a remuneração, e candidatos simplesmente deixam a sala de entrevista ao descobrirem que sua pretensão salarial é maior do que o oferecido pela vaga em questão. Para evitar esse tipo de situação, peça para o candidato informar a sua pretensão ou divulgue o salário antes.

Informações específicas como trabalho aos sábados também devem ser ditas antes para que o candidato já vá para a próxima etapa ciente das suas atribuições e horários.

Como a triagem de currículos é um dos processos mais importantes para a contratação de novos colaboradores, você deve trabalhar o melhor que puder para otimizá-la. Algumas dicas que podemos oferecer nesse ponto são as seguintes.

Tenha critérios bem-definidos para a vaga

Se você não tem um perfil pré-definido para a vaga, nem uma lista bem-estruturada de capacidades e conhecimentos que deseja do seu candidato, seu trabalho de triagem ficará bem mais difícil. Alguns componentes do currículo, como a área de formação, experiências prévias na área ou localidade do candidato, são bem fáceis de filtrar, desde que você saiba o que procurar.

Antes de começar a triagem de currículos, faça uma lista dos itens de “corte” para o processo seletivo. Por exemplo, filtrar apenas os candidatos que têm uma formação completa na área desejada, ou apenas aqueles que estão cursando faculdade para realizar um estágio.

Converse com o gestor da vaga durante a seleção

O setor de RH é especializado na captação e incentivo de candidatos, separando apenas os perfis mais adequados para cada vaga. Porém, isso não significa que você sabe exatamente quais atividades serão realizadas nem qual tipo de perfil precisa ser contratado para suprir a demanda. Nesse ponto, o apoio do gestor será indispensável.

Mantenha contato com o gestor da vaga antes, durante e após o processo de triagem para garantir que os candidatos sendo selecionados se encaixem naquilo que a vaga realmente exige. Se possível, passe um tempo se familiarizando com o setor e o cargo em questão para melhorar seu julgamento.

Invista em automação

Graças à tecnologia, boa parte do processo de triagem pode ser realizado por uma máquina, com mais rapidez e precisão. Não é necessário ler 3.000 currículos apenas em uma primeira filtragem, pois os critérios gerais, que mencionamos acima, podem ser automaticamente marcados e filtrados por um software.

Um exemplo disso é a utilização de sites de vagas. Neles, todas as informações são inseridas em campos pré-programados, os quais você pode pesquisar sem dificuldade. Uma forma bem mais eficiente de separar os melhores candidatos.

Reavalie o desempenho da triagem após a contratação

Além de pensar no desempenho atual, você também deve considerar como aprimorar seu processo de triagem de currículos para o futuro. Afinal, se você conseguir ser um pouco mais eficiente, pode economizar tempo e energia em suas próximas contratações.

Para isso, deve fazer uma avaliação retroativa do processo. Verifique o tempo investido nele, o quão eficiente foi sua filtragem e se o candidato aprovado foi mesmo o que a vaga precisava.

5. Abra-se para o novo

Retomando o que dissemos lá no começo do post, o novo recrutador precisa ter um espaço para a flexibilidade, dando oportunidade para aquilo que ele encontra de novo no mercado e, ao mesmo tempo, atendendo ao que a empresa necessita.

Isso pode ser, por exemplo, uma pessoa que mudou de área de atuação e demonstra grande empenho em se inserir nesse novo setor, formações acadêmicas variadas, habilidades artísticas, trabalho voluntário, entre muitos aspectos que podem agregar à sua empresa.

Para fazer uma busca assertiva de currículo, é preciso entender que o processo seletivo não parte do zero, mas de uma ideia que já existe a respeito do cargo, bem como as necessidades da instituição, expectativas e um perfil comportamental desejado. A partir daí, o recrutamento ocorre de maneira a encontrar uma pessoa que a empresa tem condição de desenvolver e que vá contribuir para o que ela precisa.

Com essas dicas, buscamos mostrar como é possível ser exigente na escolha de candidatos, mas sem perder talentos. E se quiser melhorar ainda mais seu desempenho, veja aqui 4 softskills para ficar de olho em suas seleções.

Posts relacionados

Deixe uma resposta